FecharX

Mostra "Abraham Palatnik", no CCBB BH

  • Gratuito

Data

07/07 até 09/08

Seg, Qua, Qui, Sex, Sab, Dom | 10:00 - 22:00


Créditos da imagem: Arquivo Circuito da Liberdade

Após meses fechado em virtude da pandemia de Covid-19, o CCBB BH reabre ao público a partir desta quarta-feira (7). Um dos destaques da programação é a mostra "Abraham Palatnik - a reinvenção da pintura". Esta é uma ótima oportunidade para ver ou rever o trabalho do reverenciado artista, pioneiro da arte cinética no Brasil, uma vez que as visitas presenciais estavam interrompidas desde março. A exposição seguirá em cartaz até o dia 9 de agosto. A visita presencial está liberada mediante agendamento neste link

A mostra, sob a curadoria de Pieter Tjabbes e Felipe Scovino, dialoga com as exposições individuais do artista, realizadas pelos mesmos curadores, respectivamente em 2013 e 2017, nos Centros Culturais do Banco do Brasil de Brasília e Rio de Janeiro. No total, são 75 trabalhos de épocas diversas, abrangendo os vários segmentos experimentados pelo artista: Aparelhos Cinecromáticos, Objetos Cinéticos, objetos lúdicos, mobiliário, pinturas e desenhos de projetos. 

“Palatnik dinamizou a arte concreta expandindo-a para além de seu campo usual e integrou-a a vida cotidiana por intermédio do design. Ao longo de sua trajetória, produziu cadeiras, poltronas, ferramentas, jogos e sofás, entre outros objetos. Sua obra habita o mundo de distintas maneiras, apontando para uma formação incessante de novas paisagens e leituras à medida que diminui, desacelera e molda o tempo. Nesta exposição reunimos todos esses momentos da obra extraordinária de Abraham Palatnik. Uma obra que oferece ao público experiências marcantes e solicita, em troca, uma entrega total”, explicam Felipe Scovino e Pieter Tjabbes, curadores da mostra.

O CCBB

O Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte foi inaugurado em 27 de agosto de 2013, ocupando o prédio cedido pelo Governo do Estado de Minas Gerais ao Banco do Brasil, para abrigar a quarta unidade do CCBB no país. A edificação tem seis andares e seu projeto arquitetônico foi concebido por Luiz Signorelli, fundador da Escola de Arquitetura de Minas Gerais. De estilo eclético, com influências neoclássicas e art déco, o edifício foi inaugurado em 1930 para sediar a Secretaria de Interior e Justiça.

O CCBB BH possui 1.200 m² de área para exposição; duas salas de mostras permanentes; teatro com capacidade para 264 lugares; sala multiuso para atividades audiovisuais, debates, conferências, oficinas, palestras, atividades interativas e educacionais, além de ambientes de convivência, lazer, alimentação e loja para comercialização de produtos culturais. Ao todo são 8.000 m² abertos ao público, o que coloca o CCBB BH entre os maiores espaços culturais do Brasil.

O equipamento recebe eventos nas áreas de artes cênicas, cinema, exposições, ideias, música e educação, oferecendo à população uma programação regular com qualidade, diversidade, a preços acessíveis, dirigida a todos os segmentos da sociedade e com ações integradas a iniciativas de responsabilidade social..