FecharX

Concurso Cultural Ler é Viver premia alunos de escolas da rede pública de BH

Promovido pelo Instituto Gil Nogueira, iniciativa busca incentivar a leitura, promover a interpretação de texto e a capacidade de expressão



Créditos da imagem: Fabrício Assis
Main premia%c3%a7%c3%a3o do concurso cultural promovido pelo ign na escola estadual antonio augusto soares canedo foto fabr%c3%adcio assis 6
Os 30 selecionados receberam uma cesta básica, kit escolar (com caderno, cola, borracha, lápis de cor, régua), dois livros e medalhas. Os três primeiros colocados, além dos prêmios citados, ganham um troféu e seis meses de assinatura do Ler é Viajar, que é o produto social do Instituto
Redação Sou BH
20/07 às 08:12
Atualizado em 20/07 às 08:12

Nesta terça-feira (20), às 14h, acontece a cerimônia de premiação do Concurso Cultural Ler é Viver, promovido pelo Instituto Gil Nogueira. Com o propósito de, além de incentivar a leitura, promover a interpretação de texto e a capacidade de expressão, os estudantes do primeiro ao quinto ano de seis escolas de Belo Horizonte foram desafiados a gravar um vídeo contando a história contida em um livro. No total, 910 alunos participaram do desafio.

Para a realização da iniciativa, foram doados 1.800 livros. Ao todo, 76 vídeos foram avaliados por uma banca julgadora formada por integrantes do Instituto Gil Nogueira, convidados e um representante de cada uma das escolas. Os critérios avaliados incluíram criatividade, oralidade, desenvoltura, estrutura (começo, meio e fim).  

Os 30 selecionados receberam uma cesta básica, kit escolar (com caderno, cola, borracha, lápis de cor, régua), dois livros e medalhas. Os três primeiros colocados, além dos prêmios citados, ganham um troféu e seis meses de assinatura do Ler é Viajar, que é o produto social do Instituto.

O concurso cultural envolveu a Escola Estadual Cabana do Pai Tomaz; Escola Estadual Dr. Antonio Augusto Soares Canedo; Escola Estadual Alzira Albuquerque Mosqueira; Escola Estadual José Mesquita de Carvalho) e Escola Estadual Afrânio de Melo Franco.