FecharX

Devido às férias de janeiro, Inhotim amplia funcionamento

Público poderá visitar o museu de quarta a sexta, das 9h30 às 16h30, e aos sábados, domingos e feriados, entre 9h30 e 17h30



Créditos da imagem: Leo Fontes
Main propaganda  2021   de lucia koch. galeria pra%c3%a7a  instituto inhotim. foto de leo fontes
O Inhotim tem a especificidade de ser um museu a céu aberto, com obras de arte espalhadas por uma exuberante natureza do Jardim Botânico
Redação Sou BH
06/01 às 09:33
Atualizado em 06/01 às 09:36

O Instituto Inhotim amplia seu funcionamento ao longo do mês de janeiro e passa a abrir às quartas-feiras. A medida visa atender a alta procura de visitação em função das tradicionais férias escolares deste mês. O público poderá visitar o museu de quarta a sexta, das 9h30 às 16h30, e aos sábados, domingos e feriados, entre 9h30 e 17h30. A capacidade máxima de visitantes permanece em 1.500 pessoas por dia e os ingressos devem ser adquiridos com antecedência através da plataforma Sympla.

O Inhotim tem a especificidade de ser um museu a céu aberto, com obras de arte espalhadas por uma exuberante natureza do Jardim Botânico. Mesmo assim, segue rigorosamente os protocolos de segurança estabelecidos, interditando espaços confinados e/ou de interação, e evitando a aglomeração de pessoas. Obedecendo aos protocolos, galerias também funcionam com número limitado de visitantes. O uso de máscaras e de displays de álcool em gel seguem em vigência.

Programação 

Para quem ainda não viu as duas exposições que abriram em dezembro de 2021, essa é a chance!

Abdias Nascimento, Tunga e o Museu de Arte Negra 


Vistas da exposição Abdias Nascimento, Tunga e o Museu de Arte Negra, na Galeria Mata, Inhotim. Foto: Ícaro Moreno

Na mostra realizada pelo Inhotim em parceria com o IPEAFRO -- Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros, o público pode conferir na Galeria Mata, pinturas, desenhos, fotografias e instalações que evidenciam o diálogo e a conexão artística entre Tunga e Abdias. 

Deslocamentos 

Jorge Macchi, American Dream, 2011 Galeria Fonte, Instituto Inhotim. Foto: Ana Luiza Albuquerque

Na Galeria Fonte, está em cartaz a mostra Deslocamentos, coletiva que trata de questões relativas à ocupação, ao compartilhamento e à migração em diferentes territórios por meio de obras dos artistas Cerith Wyn Evans, Gordon Matta-Clark, Jorge Macchi, Laura Lima, Matheus Rocha Pitta, On Kawara,Raquel Garbelotti, Rivane Neuenschwander, Rodrigo Matheus, Rubens Mano e Sara Ramo.

Nova obra no Jardim Sombra e Água Fresca 


O espaço físico pode ser um lugar abstrato, complexo e em construção (2021), Rommulo Vieira Conceição, no Jardim Sombra e Água Fresca, Instituto Inhotim

O Jardim Sombra e Água Fresca abriga desde agosto o site specific O espaço físico pode ser um lugar abstrato, complexo e em construção, obra do artista Rommulo Vieira Conceição feita para o programa de comissionamentos do Inhotim.

Galeria Praça com novidades 

Obra PROPAGANDA (2021), de Lucia Koch, na Galeria Praça, Instituto Inhotim | Foto: Leo Fontes

Ainda entre as novidades de 2021, a Galeria Praça abriga a mostra Entre Terras, individual da artista Aleksandra Mir, e a obra PROPAGANDA, trabalho assinado pela artista Lucia Koch que também integra os comissionamentos de 2021 do Instituto.

Visitas Mediadas 

O Instituto também promove circuitos de visitas mediadas para quem gosta de se aprofundar e conhecer mais a fundo os artistas, as obras e a história do museu. Essa programação é composta pela Visita Panorâmica, que consiste na conversa e reflexão sobre o espaço do Inhotim e seus acervos, explorando as várias possibilidades de percurso. Com duração de 1h30, acontece em todos os dias de visitação, às 11h e às 14h, tendo como ponto de partida a recepção de Inhotim. 

Já na Visita Temática, a conversa gira em torno de temas específicos que envolvem o acervo artístico ou botânico do Inhotim. Com duração de 1h30, acontece às quartas-feiras, sábados, domingos e feriados, às 10h30, saindo da recepção.

No Mediação em ponto, os educadores permanecem em galerias ou jardins para apresentar aos visitantes detalhes e curiosidades sobre o acervo, esclarecer dúvidas, propor reflexões e instigar relações entre público, obras de arte e espécies botânicas do Inhotim.