FecharX

Inscrições para residência artística do Bolsa Pampulha estão abertas

8ª edição do edital vai distribuir 16 bolsas com valor mensal de R$ 2 mil, acrescida de R$5 mil para apresentação final do resultado da residência



Créditos da imagem: @viadutodasartes
Main  viadutodasartes capa
Como o Museu de Arte da Pampulha (MAP) encontra-se com o edifício sede em período de preparação para obras de restauro, as atividades presenciais, bem como as residências artísticas, serão realizadas no Viaduto das Artes, situado no Barreiro, onde irá funcionar o ateliê coletivo
Redação Sou BH
25/01 às 09:16
Atualizado em 25/01 às 09:16

Uma das mais importantes iniciativas que envolvem residência artística e estímulo à produção de artes visuais no cenário brasileiro, o Bolsa Pampulha está com as inscrições abertas até o dia 23 de fevereiro. Em sua 8ª edição, o mecanismo de fomento irá distribuir 16 bolsas, sejam elas individuais ou coletivas, com valor mensal de R$ 2 mil, acrescida de verba de R$5 mil para cada bolsista, disponibilizada para despesas com a apresentação final do resultado da residência. Além das artes visuais, o programa irá contemplar propostas relacionadas às áreas de arte educação, arquitetura e design.

O Bolsa Pampulha será realizado ao longo de seis meses, quando diversas atividades serão promovidas como parte integrante do programa, que tem início com a seleção dos bolsistas e prossegue com o período de residências artísticas. Também estão previstos encontros mensais, debates, oficinas, palestras - todas abertas ao público em geral, de forma presencial ou virtual -, além de uma mostra de encerramento e publicação de catálogo, ambos com as obras dos bolsistas contemplados. Todas essas atividades seguirão os protocolos sanitários vigentes de combate e prevenção ao contágio pela covid-19.

A edição atual do Bolsa Pampulha passa a aceitar proponentes sem limite de idade máxima, entendendo que não existe um momento específico para começar uma pesquisa artística cultural. A única obrigatoriedade é ter mais de 18 anos.

O programa é voltado exclusivamente à participação de artistas e pesquisadores residentes em Belo Horizonte ou em alguma das outras 33 cidades da região metropolitana da capital. “Com essa medida, reafirmamos nosso compromisso com o setor cultural de Belo Horizonte, assim como viemos fazendo desde o início da pandemia, garantindo um recorte ainda mais direcionado das nossas políticas públicas para fomentar os artistas e profissionais dos bastidores da nossa cidade, que foram gravemente afetados pela pandemia de covid-19”, explica a secretária municipal de cultura e presidenta interina da Fundação Municipal de Cultura, Fabíola Moulin.

Como o Museu de Arte da Pampulha (MAP) encontra-se com o edifício sede em período de preparação para obras de restauro, as atividades presenciais, bem como as residências artísticas, serão realizadas no Viaduto das Artes, situado no Barreiro, onde irá funcionar o ateliê coletivo. Para fazer a inscrição, basta clicar aqui.