FecharX

Mineiros serão responsáveis por avaliar projetos em busca de um novo 'Emicida'

Ana Paulino, Bia Nogueira e Gabriel Murilo estão na curadoria que vai selecionar artistas e projetos que receberão patrocínio da Natura Musical para 2022



Créditos da imagem: Divulgação
Main mineiros edital natura prancheta 1 prancheta 1
O trio, ao lado de outros 18 curadores, vai selecionar propostas de artistas, bandas, grupos, coletivos e empreendedores culturais, em diversos estágios de carreira, que desejam desenvolver projetos musicais com relevância artística, que tenham impacto positivo e promovam a diversidade e a inclusão.
Thiago Alves
16/10 às 11:43
Atualizado em 16/10 às 11:43

Os mineiros Ana Paulino, Bia Nogueira e Gabriel Murilo estão entre os responsáveis que vão avaliar os 3.720 projetos artísticos e iniciativas de fomento inscritos no edital Natura Musical. O trio, ao lado de outros 18 curadores, vai selecionar propostas de artistas, bandas, grupos, coletivos e empreendedores culturais, em diversos estágios de carreira, que desejam desenvolver projetos musicais com relevância artística, que tenham impacto positivo e promovam a diversidade e a inclusão.

Alguns dos mais representativos compositores e intérpretes da nova geração já foram patrocinados pelo programa, como Linn da Quebrada, Djuena Tikuna, Emicida, Bia Ferreira, Rico Dalasam, Letrux, Tuyo, entre outros. Ao mesmo tempo, a plataforma apoia projetos emblemáticos de ícones da música brasileira: é o caso de Jards Macalé, com "Besta Fera", Elza Soares, com "A Mulher do Fim do Mundo", Dona Onete, com "Rebujo", por exemplo.

Ao todo, Natura Musical disponibiliza R$ 5,5 milhões de reais em fomento, sendo R$ 1,5 milhão para a projetos de todos o Brasil e região Amazônica; R$ 1 milhão para Minas Gerais; R$ 1 milhão para a Bahia; R$ 1 milhão para o Pará ; R$ 1 milhão para o Rio Grande do Sul.

Sobre Ana Paula Paulino

A arte sempre esteve no caminho da mineira Ana Paula Paulino. Dançarina desde os 3 anos, a atual empresária e produtora se envolveu com o meio cultural de Belo Horizonte desde cedo, mas foi apenas após sua ida definitiva para o Rio de Janeiro em 2014, que ela descobriu sua verdadeira vocação para o gerenciamento artístico e planejamento de carreira musical.

Bacharel em Relações Públicas pela UFMG, Ana Paula é uma das sócias da Ubuntu Produções. Criada em 2015, a Ubuntu objetiva ser força motriz, alavancando iniciativas, carreiras, talentos e gerindo sonhos, além de pensar estrategicamente em projetos e ações que agregam valor e possibilitam a visibilidade de segmentos, pessoas e anseios, que merecem mais palco. Além das áreas de produção e gestão cultural, planejamento de carreira, representação e agenciamento artístico, a Ubuntu Produções é também uma editora/ gravadora, responsável pelos lançamentos e gerenciamento das produções musicais e audiovisuais de seus próprios artistas.

Além de desenvolver grande parte das estratégias relacionadas aos artistas - como MC Carol - ligados à empresa, Ana Paula Paulino também atua como curadora, tendo participado de projetos como Red Bull Music Pulso e os festivais Rider #DáPraFrazer, Conexidade, Justiça por Marielle e Anderson, Favela em Casa, entre outros. Já atuou na direção e/ou concepção de clipes dos artistas da Ubuntu. É também ativista e palestrante, tendo participado como speaker em novembro de 2020, do TEDx São Paulo, sob o tema #ideiassnegrasimportam.

Sobre Bia Nogueira

Bia é uma  multiartista negra, agitadora cultural e produtora de Minas Gerais. Está preparando seu segundo álbum com canções inéditas e autorais. Pela sua atuação no mercado da música, em Março de 2021, foi eleita profissional do ano no Prêmio SIM 2020 da principal feira de música da américa latina, a SIM São Paulo. Em 2020 participou em feat. com o rapper Djonga, na  faixa ”O Cara de Óculos” que abre o álbum “História da Minha Área”. No mesmo ano lançou oito clipes ao lado da banda IMuNe, três singles de sua carreira solo e  coordenou a realização do Festival IMuNe (patrocinado pela Natura Musical).

É diretora artística do Coletivo IMuNe e uma das coordenadoras do Festival Sonora. Integra o Coletivo Mulheres Criando, Movimenta Clementina, a banda Yônika e a cia teatral Grupo dos Dez. Também faz parte do Conselho Consultivo da SIM São Paulo. No teatro atuou em inúmeros espetáculos destacando-se o premiado Madame Satã (com direção de Rodrigo Jerônimo e do saudoso João das Neves). Nessa peça, além de atuar, também assina a direção musical.

Sobre Gabriel Murilo

Gabriel é um dos criadores e diretores do encontro internacional Música Mundo que acontece desde 2014. O evento reúne profissionais do mercado da música internacional para networking e shows em Belo Horizonte. Gabriel é mestre em Música pela UFMG e já circulou como músico e ator no Brasil e internacionalmente com os grupos Macaco Bong, Confeitaria e Serelepe. Gabriel trabalha também com gestão de projetos culturais, residências artísticas, curadoria e projetos de formação.