FecharX

Chef Eduardo Maya percorre BH em busca dos segredos das melhores pizzas

Após visitar pizzarias pelo mundo, gastrônomo percorre estabelecimentos da capital mineira e seus diferentes estilos de redondas na nova temporada do Rota da Pitza



Créditos da imagem: Divulgação
Main eduardo maya prancheta 1
Em Belo Horizonte, a primeira parada da Rota da Pitza será na Pizzaria Giovanni, no bairro Floresta, fundada em 1961. Por lá, um dos sabores mais pedidos é a redonda de palmito à bolonhesa
Thiago Alves
13/09 às 12:52
Atualizado em 13/09 às 12:52

Quadrada, redonda, massa fina ou grossa, borda alta ou recheada. Quando o assunto é pizza, a pessoa em Belo Horizonte que mais tem propriedade para falar do assunto é o chef Eduardo Maia. Inquieto e sempre em busca de novos sabores e formatos da massa criada em Nápoles, na Itália, Maia vai percorrer as principais pizzarias de Belo Horizonte na nova temporada da Rota da Pitza.

Depois de mapear pizzarias icônicas em Nova York, nos Estados Unidos, Portugal e de toda a Itália, de Norte a Sul, o chef estreia nesta segunda-feira (13) o seu projeto na capital mineira - eleita Cidade Criativa da Unesco pela Gastronomia - seguindo uma ordem cronológica e passeando por várias décadas até os dias de hoje. “Com tantos reconhecimentos gastronômicos em BH, o que não poderia faltar também são boas pizzarias” disse Maya.

Em Belo Horizonte, a primeira parada da Rota da Pitza será na Pizzaria Giovanni, no bairro Floresta, fundada em 1961. Por lá, um dos sabores mais pedidos é a redonda de palmito à bolonhesa.

Os detalhes das visitas na capital serão reproduzidos nas redes sociais da Pitza 1780 no Instagram, Fecebook e YouTube - a cada semana será divulgado um episódio. Estão previstas visitas em pizzarias na capital mineira como Nino Pizzaria, Pizzaria Barroca e Popolare. Nesta temporada, o projeto Rota da Pizza tem apoio da cervejaria Wäls - ao final de cada episódio, Maya elege um sabor de pizza com sugestão de harmonização com rótulos da cervejaria mineira.

A Rota da Pitza teve início na Itália e, desde a criação, a intenção do projeto é recriar este roteiro em várias partes do mundo, inclusive no Brasil. Na primeira etapa, feita em novembro de 2018, Maya passou por pizzarias e produtores locais de Milão, Verona, Florença, Roma, Nápoles, Palermo e Caiazzo. 

“Todo mundo conhece praticamente apenas uma maneira de fazer pizza. Mas dentro da própria Itália há estilos distintos, que se diferem de acordo com a massa, a disposição dos ingredientes, o processo de assar e até a forma de servir e de consumir. No início do projeto, fomos conferir de perto, na terra da pizza, como e por que há essas variações, em busca daquilo que existe de mais tradicional e moderno no mundo”, afirma o chef.