FecharX

Expocachaça e Brasilbier vão acontecer juntos em novembro na Serraria Souza Pinto

Em sua 30ª edição, evento do destilado que é patrimônio cultural de Minas volta a ser realizado na região central de BH



Créditos da imagem: Jair Amaral/EM/D.A Press
Main eec21072021ja03
Minas Gerais é o maior produtor de cachaça alambique no país, enquanto os paulistas lideram a produção da cachaça de coluna
Thiago Alves
13/09 às 08:34
Atualizado em 13/09 às 08:36

Nesta segunda-feira (13), data em que é comemorada o Dia Nacional da Cachaça, bebida feita a partir da destilação da cana de açúcar e que é considera patrimônio cultural de Minas Gerais, a organização da Expocachaça anuncia a realização da 30ª edição do evento. Dessa vez, o festival que reúne amantes da bebida acontecerá em paralelo com a 14ª edição do Brasilbier, unindo assim duas cadeias produtivas de bebidas artesanais: o destilado e a cerveja. O evento acontecerá entre os dias 25 e 28 de novembro.

"Estávamos programados para que o evento ocorresse em outubro, mas achamos por bem alterar para novembro, quando teremos praticamente 100% da população de Belo Horizonte, Região Metropolitana, municípios mineiros e de outros estados já vacinados. Além disso, teremos alguns eventos realizados em agosto, setembro e outubro que servirão para observarmos os protocolos adotados. Até novembro, esses protocolos deverão ter flexibilização, especialmente para a presença de público, que ajudará no formato da Expocachaça e Brasilbier que tem shows em sua programação", afirma José Lúcio Mendes, presidente e promotor dos eventos.

Outra novidade desta edição é a volta para a antiga casa, a Serraria Souza Pinto, na Avenida Assis Chateaubriand, na região central de Belo Horizonte, abaixo do Viaduto Santa Tereza e ao lado do Parque Municipal de Belo Horizonte.

"A Serraria Souza Pinto é um espaço com bastante ventilação natural, o que é um fator importante para o protocolo Sanitário, é no centro da cidade de BH e com uma boa estrutura de hotéis para atender ao público da feira. Faremos um belíssimo evento e com grandes negócios, como foi nas 29 edições anteriores, que contaram com um público de 2.292.000 de visitantes e mais de 400 milhões em negócios realizados nas Feiras e no pós-feiras", finaliza José Lúcio Mendes.

Mercado da cachaça

A cachaça tem importância considerável na economia do Brasil, movimentando cerca de R$ 7 bilhões e 500 milhões em sua cadeia produtiva anualmente no País. Não à toa, em território nacional, são produzidos cerca de 1,4 bilhão de litros de Cachaça por ano, segundo dados recentes do Centro Brasileiro de Referência da Cachaça e Euromonitor (CBRC) em 2019. Minas Gerais é o maior produtor de cachaça alambique no país, enquanto os paulistas lideram a produção da cachaça de coluna.

Em consumo, esses índices representam, aproximadamente 6,29 litros per capita. Levando em consideração apenas brasileiros entre 18 e 55 anos, os valores aumentam: 10,5 litros por indivíduo. Para dar conta da demanda, são milhares de produtores de cachaça e mais de 4 mil marcas em solo nacional. Deste total, 98% são pequenas e microempresas. Mas, somente cerca 1% de nossa produção é exportada, o que demonstra, que apesar da cachaça ser o terceiro destilado consumido no mundo, 99% desse consumo é interno. Alemanha, Itália, França, Espanha, Uruguai, Argentina e Chile são alguns dos países que mais importam a cachaça tipicamente brasileira.