FecharX

Momo Confeitaria cria bombom rosa para conscientizar sobre o câncer de mama

Todo o faturamento do doce, que só fica no cardápio durante o mês de outubro, será revertido para o Instituto Mário Penna



Créditos da imagem: Divulgação
Main momo bombom  prancheta 1
O doce tem valor unitário de R$ 8,99. A caixa com 25 unidades sai por R$ 59,90
Redação Sou BH
04/10 às 10:36
Atualizado em 04/10 às 10:36

Nas cinco unidades da Momo Confeitaria, em Belo Horizonte, a esperança tem cor e é rosa. A rede fundada em 1989 pelo casal de empresários Marcelo e Eugenia está com uma novidade no cardápio das lojas físicas e virtual. Trata-se do Bombom de Morango Rosa, doce que foi criado para aumentar a conscientização sobre a prevenção do câncer de mama durante a campanha Outubro Rosa.

O bombom, que só será vendido neste mês, terá todo o seu faturamento revertido para o Instituto Mário Penna, sem nenhum desconto de matéria-prima ou impostos, que serão arcados pela Momo. O doce tem valor unitário de R$ 8,99. A caixa com 25 unidades sai por R$ 59,90.


Mamografias gratuitas

Em parceria com a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, o Instituto Mário Penna está oferecendo 2.000 mamografias gratuitas para mulheres que têm acima de 50 anos, que não fizeram o exame preventivo nos últimos 12 meses. O agendamento deve ser feito pelo telefone 3349-1212, de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h; e aos sábados, das 7h às 18h.

Segundo a Dra. Kerstin Kapp Rangel, coordenadora da residência médica de mastologia do Instituto Mário Penna, a mamografia deve ser realizada anualmente por mulheres na faixa etária indicada pelo Ministério da Saúde, Sociedade Brasileira de Mastologia e Sociedade Brasileira de Radiologia, a fim de possibilitar o diagnóstico da doença em sua fase mais inicial. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o diagnóstico precoce do câncer de mama significa chance de cura de 95%.

“A mamografia é o único exame capaz de reduzir em, aproximadamente, 30% a mortalidade por câncer de mama, pois permite a detecção da doença mais precocemente, antes do aparecimento das alterações palpáveis. Assim, a cura após o tratamento adequado pode ser obtida em mais de 90% dos casos. O rastreamento do câncer de mama consiste na associação do exame clínico anual e da mamografia. O autoexame é capaz de detectar tumores em torno de 2,0 cm, mas é preciso diagnosticar a doença bem antes disso”; explica.

De acordo com dados do INCA, em 2020 foram diagnosticados, aproximadamente, 67 mil novos casos de câncer de mama no Brasil. Trata-se do câncer mais comum em mulheres (quase um terço de todos os casos). O câncer de mama também é a neoplasia que mais leva a óbitos no Brasil, sendo 18.068 no ano de 2020. Somente em Minas Gerais são estimados 8.250 diagnósticos de câncer de mama para o ano de 2021.