FecharX

De Minas para o mundo: tema inspira reforma no Aeroporto Internacional de BH

Obras começaram no dia 9 de novembro e vão oferecer ainda mais conforto e comodidade a passageiros e visitantes



Créditos da imagem: Reprodução/BH Airport
Main novo projeto  4
Imagem faz comparação do atual terminal de embarque com o novo projeto, previsto para ficar pronto em 14 meses
Redação Sou BH
16/11 às 12:23
Atualizado em 16/11 às 12:31

O Aeroporto Internacional de Belo Horizonte entra agora em uma nova etapa na reforma do Terminal de Passageiros 1. No dia 9 de novembro, começam as obras na sala de embarque. O projeto de modernização, assinado pelo escritório Fernandes Arquitetos Associados, prevê a ampliação das áreas comerciais, assim como a revisão dos fluxos e processos – que englobam raio-X, check-in, restituição de bagagens, salas e portões de embarque. A estimativa é que essa etapa da reforma tenha duração de 14 meses. 

O objetivo das obras é oferecer ainda mais conforto e comodidade a passageiros, visitantes e toda a comunidade aeroportuária, bem como ampliar as áreas comerciais no terminal em mais de 100%. “Com a reforma, o aeroporto entra em um novo patamar de excelência. Além de melhorar significativamente a eficiência operacional, as intervenções vão permitir que as pessoas tenham a melhor experiência ao circular pelo terminal, bem como mais conforto e opções de compras”, avalia Gustavo Anfra, gestor de Desenvolvimento Aeroportuário da BH Airport.   

A reforma do terminal está dividida em etapas. Inicialmente, ao longo do primeiro semestre deste ano, ocorreu a transferência dos escritórios das companhias aéreas e órgãos públicos do térreo e primeiro pavimento para outros setores do aeroporto. Agora, começa efetivamente a fase de reforma dos espaços. Algumas mudanças já foram colocadas em prática desde o dia 7 de novembro, como a abertura dos portões de embarque doméstico de 23 a 30, do Terminal de Passageiros 2. No dia 9, ocorreu o fechamento dos portões de 1 a 6, do Terminal de Passageiros 1, assim como a mudança do canal de inspeção, que passou a funcionar próximo à Polícia Federal, também no primeiro pavimento. Nessa nova estrutura, o passageiro contará com o mesmo volume de esteiras, o que garante o fluxo e atendimento aos usuários. 

“O aeroporto já atua para informar ao público sobre a reforma e possíveis alterações, para que os passageiros embarquem com tranquilidade e que não haja impactos durante essa fase de transição. Vamos operar em 100% no Terminal de Passageiros 2. Sinalizações já estão realocadas pelo terminal e a concessionária está à disposição para esclarecer as dúvidas. O foco permanece em oferecer a melhor experiência a todos que passam por aqui”, frisa Anfra. 

 

Investimentos na reforma 

As intervenções no Terminal de Passageiros 1 demandarão investimentos da ordem de R$ 100 milhões e vão contribuir para fortalecer o papel do aeroporto como indutor do crescimento e desenvolvimento socioeconômico do Estado. Com o apoio dos acionistas, o terminal terá sua infraestrutura transformada, o que trará um ambiente mais moderno e pronto para conectar Minas Gerais com os demais estados brasileiros e também com o mundo. 

Todos os investimentos realizados pelo aeroporto desde o início da concessão, em 2014, refletem diretamente na qualidade da prestação de serviços aos passageiros, visitantes e comunidade aeroportuária.  

 

Projeto arquitetônico é destaque 

O conceito arquitetônico é um dos destaques da reforma, uma vez que visa transformar a antiga estrutura em uma nova ambiência que atenda as demandas atuais de movimentação, sem descaracterizar o projeto original, de autoria do arquiteto Milton Ramos. “A ideia desse novo conceito é trazer para o terminal uma matriz conceitual com o lema ‘De Minas para o Mundo’. O intuito é que a arquitetura se caracterize como um meio potente de identificação e valorização da história e da cultura mineira”, explica Anfra.  



Reprodução/BH Airport - Nos portões de embarque, o escritório de arquitetura buscou as diversas contribuições artísticas e arquitetônicas do barroco mineiro


Minas Gerais é um dos estados brasileiros mais ricos em tradições culturais, com uma grande variedade de influências. Com isso, o escritório de arquitetura selecionou três fortes elementos de representatividade para guiar a proposta para o novo projeto do terminal. A tradição do barroco, a topografia mineira e o modernismo presente nas formas do projeto original do aeroporto – todos eles também possuem características comuns, como a plasticidade, o elemento curvo, a expressividade e a relação com a paisagem. 

Construído há mais de 30 anos, o terminal de passageiros 1 tem arquitetura e estética marcadas pelo concreto. Com o projeto de reforma e modernização, o intuito é compor harmonicamente as áreas existentes com novos materiais e texturas. 



BH Airport/Divulgação - Construído há mais de 30 anos, o terminal de passageiros 1 tem arquitetura e estética marcadas pelo concreto


Área de embarque/desembarque  

Atualmente, a área de embarque/desembarque já oferece uma organização espacial e de fluxos claros. O projeto luminotécnico terá papel essencial e vai destacar a materialidade do concreto aparente, compondo com o novo fechamento em painel amadeirado, além de trazer um elemento estético que unifica toda a sala de embarque.   

 

Inspeção de segurança  

Com a nova reorganização espacial do primeiro pavimento, haverá ampliação da área dos canais de inspeção.  

 

Sala de embarque  

A reforma da sala de embarque tem o intuito de reorganizar os fluxos, possibilitar o deslocamento eficiente entre os portões, ao mesmo tempo em que estimula os passageiros a aproveitarem as opções do novo mix de lojas, com confortáveis áreas de estar, cafés, restaurantes e varejo.  

Conforme o escritório de arquitetura, a nova materialidade busca uma harmonia entre o concreto original, o granito do piso, testeiras das lojas e novos materiais adicionados. Os elementos nos forros, portões de embarque e área de longarinas aliam a funcionalidade desses materiais à intenção de preparar o terminal para o futuro, ao mesmo tempo que reforçam características da tradição mineira. 

Outro elemento marcante é a topografia do Estado, representada pelas formas orgânicas do forro, instalado nas áreas de espera e de formação de filas junto aos portões de embarque. Cada trecho entre os portões representa no teto a topografia de uma montanha de Minas Gerais. 

 

Portões de embarque 

Nos portões de embarque, o escritório de arquitetura buscou as diversas contribuições artísticas e arquitetônicas do barroco mineiro com as portas de arte sacra, que marcam esse portal de chegadas e partidas do universo mineiro. A ideia é que cada portão receba uma aplicação de chapa metálica perfurada que faz referência às portas das igrejas de Minas Gerais. 

 

Sobre a BH Airport     

A BH Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, é uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) formada pelo Grupo CCR, uma das maiores companhias de concessão de infraestrutura da América Latina, e por Zurich Airport, operador do Aeroporto de Zurich, o principal hub aéreo da Suíça e considerado um dos melhores aeroportos do mundo, além da Infraero, estatal com experiência de mais de 40 anos na gestão de aeroportos no Brasil, que tem 49% de participação.