FecharX

O que é que o Prado tem?

Bairro da região oeste mescla ares antigos e modernos



Créditos da imagem: Charles Tôrres
Main 175102 prado
Prado é um bairro que mistura arquitetura antiga e moderna, na região oeste de BH
Redação Sou BH
15/06/15 às 00:22

Por Camila de Ávila, jornalista Sou BH

Entre as avenidas do Contorno, Amazonas e Tereza Cristina, está o bairro Prado, com suas ruas, quase todas com nomes de minérios e pedras. Cheio de boutiques, restaurantes e bares, o Prado é um bairro aconchegante, com ruas calmas, estreitas e ainda de paralelepípedos. O Sou BH fez uma pesquisa nas redes sociais para descobrir com os moradores do Padro (oops) Prado, o que é que este bairro tem?

Localizado na região oeste de BH, nele foi onde se ergueu o primeiro hipódromo da cidade, inaugurado em 1909, denominado Prado Mineiro, onde, hoje, está localizada a Academia de Polícia Militar de Minas Gerais. O primeiro voo oficial de avião da capital também saiu de lá, pilotado pelo italiano Ernesto Darioli. 

Atualmente, a rua Platina está junto com as ruas Turquesa, Turfa e Francisco Sá, ponto em que se concentra todo o comércio. Está no Prado também o Tambor Mineiro, a Mimulus Cia de Dança, a Escola de Dança Rodrigo Delano e a Spasso Circo.

De acordo com o usuário do Sou BH, Olavo Batista Duarte, o Prado é cheio de encantos e descobertas. “Caminhar pelas ruas com nomes de pedras preciosas do Prado é como ter uma aula de arquitetura de Belo Horizonte. Podemos observar desde imponentes casarões do início do século passado a exemplares do modernismo. Cada esquina do bairro revela uma surpresa, que vai de uma lojinha tradicional a uma de grande rede de varejo, de uma rua movimentada e apressada, como a Platina, a uma pracinha com o charme e o sossego de uma cidadezinha do interior, como é o caso da Praça Eugênio Zucheratto”, conta. Betania Assis concorda com Olavo “um lugar charmoso que mistura a modernidade com a arquitetura antiga”, analisa. Segundo o usuário Jonathan Vieira, o bairro precisa de cuidados. “Uma linda arquitetura da primeira metade do século passado que merece ser preservada e visitada”, constata.

Úrsula Batista ressalta a vocação boêmia do bairro: “Tem botecos cheios de charme”. Karen Esteves fala sobre a criatividade dos bares da região: “Tem um bar ótimo chamado Dow Jones, que quanto mais você bebe uma marca de cerveja ou chope, mais barato ele fica, achei a ideia fantástica. Fora o famoso samba do Prado”, conta. Camila Baião Luquini fala das delícias do Prado. “Um torresmo maravilhoso no Bar da Praça”. Margareth Gouveia lembra e convida para o “Quintal do Prado, chega lá pra ver a maravilha de comida, lugar e serviço. Não esquece de comer o pé de moleque”. E você acha, Margarerth, que vamos esquecer?

Comentários