FecharX

Aeroporto Internacional de BH doou mais de 1,5 mil toneladas de resíduos à Ascamare

Ação faz parte das diversas iniciativas que abrangem o ESG e foram celebradas no Dia Mundial do Meio Ambiente



Créditos da imagem: BH Airport/Divulgação
Main coleta001
Desenvolvido em 2014, pelo Aeroporto Internacional de BH, o projeto Coletiva Seletiva Solidária alcançou a marca de mais de 1,5 mil toneladas de resíduos doados à Associação de Catadores de Materiais Recicláveis (Ascamare) de Lagoa Santa
Redação Sou BH
10/06 às 16:44
Atualizado em 10/06 às 16:44

Uma operação de grandes dimensões como a do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, demanda uma série de práticas para que a operação seja eficiente, com um crescimento sustentável, com o menor impacto possível ao meio ambiente e que também contribua positivamente para as comunidades do entorno. Pensando nisso, são desenvolvidos no terminal projetos que abranjam o ESG – Environmental (ambiental), Social (social) and Corporate Governance (governança corporativa).

O projeto Coletiva Seletiva Solidária, desenvolvido pelo aeroporto desde 2014, alcançou a marca de mais de 1,5 mil toneladas de resíduos doados à Associação de Catadores de Materiais Recicláveis (Ascamare) de Lagoa Santa. “O resultado é fruto do engajamento da comunidade aeroportuária que separa corretamente os resíduos recicláveis. A iniciativa contribui para a economia de recursos naturais, para o descarte adequado dos materiais, bem como traz reflexos positivos para a comunidade”, ressalta Douglas Gameiro, gestor de Segurança e Processos Integrados da BH Airport.

A Coleta Seletiva Solidária reflete diretamente na geração de renda para dezenas de famílias dos 26 associados da Ascamare, que comercializam os resíduos. Entre os materiais doados pelo aeroporto estão papel, plástico, vidro, pallets de madeira e metal. No período de 2014 até agora, a venda desses resíduos somou mais de R$ 725 mil para a entidade.

“O Aeroporto Internacional de Belo Horizonte atua para cumprir seu papel de fomentar o desenvolvimento econômico de Minas Gerais e da região onde está inserido. A geração de renda é um ponto relevante para a comunidade e contribui para a inclusão social, que é algo de fundamental importância para o aeroporto”, avalia Douglas.


Meio ambiente em foco

Em relação às ações voltadas para o meio ambiente, um sistema de coleta, armazenamento e reaproveitamento de águas pluviais foi instalado no Terminal 2. Em 2020, foram captadas e reaproveitadas 1.005 m³. O volume foi direcionado para reservatórios enterrados e, depois, para o reservatório elevado de água de reuso. Esse recurso foi reutilizado no abastecimento das instalações sanitárias e na reposição de água para o sistema de climatização.

Também há um sistema de coleta, armazenamento e reaproveitamento de águas cinzas, que são captadas pelo sistema de redes segregadas, direcionando o efluente para uma estação elevatória e posteriormente para a Estação de Tratamento de Efluentes. Ao todo, foram captadas 318 m³ dessa água em 2020, que também foi reutilizada no abastecimento das instalações sanitárias e reposição de água para o sistema de climatização.

Para completar, foi concluída a reforma da Central de Água Gelada – que elevou a eficiência na climatização do lado doméstico do terminal – o que gerou uma economia de 347m³/mês.



Comentários