FecharX

Com mais de 100 mil likes diários no Insta, criador do perfil 'Sebastião Salgados' é de BH

Conteúdo humorístico publicado não tem relação nenhuma com o trabalho do fotógrafo Sebastião Salgado



Créditos da imagem: Reprodução
Main sebasti%c3%a3o salgado
Redação Sou BH
27/02 às 09:00
Atualizado em 27/02 às 09:00

Provavelmente, você já deve ter visto as hashtags #sorrygustavo ou #olavirginianos em seu feed do Instagram ou do Facebook, sempre acompanhadas de imagens em preto e branco. Trata-se da página de humor “Sebastião Salgados”, que possui 270 mil seguidores nas redes sociais e é administrada por um belo-horizontino.

O estilo dicromático da página e o nome com um “s” a mais fazem alusão ao trabalho do fotógrafo mineiro Sebastião Salgado, referência mundial em fotografia documental, dono de um preto e branco puríssimo. No entanto, o conteúdo publicado em “Sebastião Salgados” não tem relação nenhuma com o trabalho do fotógrafo natural de Aimorés, que há mais de quatro décadas registra em imagens os maiores horrores cometidos pela espécie humana e as grandes belezas naturais do planeta.

“Percorro o mundo expondo fotos sobre a condição social de todos os tipos de salgado”, informa - assim mesmo, com erro proposital de concordância - a descrição da paródia “Sebastião Salgados”. Diariamente, os seguidores do perfil têm acesso a uma coletânea de publicações de humor envolvendo, em sua maioria, gatos, comidas e fachadas cômicas de estabelecimentos.

Criador do perfil, o designer gráfico Gabriel Dutra, morador do bairro Santa Mônica, em Belo Horizonte, conta que a ideia de criar a página surgiu em novembro de 2012, época em que era estagiário de marketing de uma empresa no Centro e recebia um vale-alimentação mensal de R$ 120. "Se eu quisesse comer todo dia, poderia apenas gastar em torno de R$ 5. Que lanche se faz no centro de BH com apenas R$ 5? Sim, salgados! Eu ia sempre em uma lanchonete próxima de onde trabalhava, que tinha uns salgados maravilhosos”, relembra.

A lanchonete em questão é a Lanches Cidades, localizada no número 858 da rua Rio de Janeiro, próximo ao Shopping Cidade. Ela sobreviveu ao abre e fecha da pandemia e segue servindo seus salgados tradicionais, como coxinha, empada e pão de queijo. “Na época (2012) eu curtia a página ‘Cartier Bressão’, no Facebook, que também fazia uma paródia de um grande fotógrafo, o francês Cartier Bresson. Então, em uma tarde na lanchonete, me veio a ideia do nome: Sebastião Salgados”, revela.

E foi assim, enquanto comia uma coxinha de catupiry e um rissole de milho, no Centro, que Gabriel Dutra criou a página de humor em preto e branco que diverte centenas de milhares de pessoas diariamente. “Eu descobri que praticamente tudo era passível de ser empregado em preto e branco, que além de criar uma identidade, também dava uma outra percepção daquilo que está sendo retratado”, conta.

Gabriel não se considera um influenciador digital e revela que ainda não monetizou a página. “Tenho que conciliar (a página) com estudo e trabalho. Isso interfere muito, pois ficam muitas ideias na gaveta, devido à falta de tempo e retorno financeiro”.

No entanto, o trabalho realizado por ele na página chamou a atenção de grandes empresas. “(Pizzaria) Domino’s e (Cerveja) Itaipava até chegaram a propor parcerias, mas não chegou a ser concretizado e recebi apenas mimos das empresas. Uma forma de monetização seria uma saída para que eu possa me dedicar mais a página, trazer mais conteúdos autorais e experimentais. Não penso que por meio de parceria para publicações seja uma forma sustentável de monetizar a página, mas sim criar uma loja para a página”, planeja.

Uma novidade da página para a próxima semana é o retorno do ‘Festival Miojo Literário’, em que os seguidores criam diálogos literários sobre comer o macarrão instantâneo, imaginando como seus autores favoritos os escreveriam.

 

Comentários