FecharX

Feira de adoção de pets marca o Dia Internacional do Vira-Lata em BH

Segundo dados do IBGE e do Instituto Pet Brasil, o Brasil tem 3,9 milhões de animais em condição de vulnerabilidade



Créditos da imagem: Thiago Alves
Main img 5744
São aproximadamente 2,7 milhões de cães e 1,2 milhões de gatos em condição de vulnerabilidade no país
Redação Sou BH
29/07 às 17:09
Atualizado em 30/07 às 10:00

O cachorro vira-lata, tecnicamente classificado como sem raça definida (SRD), é tão popular que ganhou até mesmo um dia para chamar de seu, o Dia Internacional do Vira-Lata, comemorado sábado (31). No entanto, nem tudo é carinho na vida desses pets, uma vez que muitos deles estão expostos a maus tratos e ao abandono. Com o intuito de incentivar o acolhimento de animais em condição de vulnerabilidade (ACV), alunos do curso de Medicina Veterinária da Una e o Power Shopping Centerminas promovem uma feira de adoção de pets. O evento ocorrerá das 10h às 17h, no 4º piso do centro comercial, que fica Av. Pastor Anselmo Silvestre, 1495, no bairro União, região Nordeste de Belo Horizonte.

Para a adoção, o candidato deverá atender critérios como afinidade com animais; compreensão da necessidade de planejamento e responsabilidade para a adoção; ter mais de 18 anos; estar de acordo com um termo de responsabilidade; e apresentar cópia do documento de identidade e comprovante de residência.

O Dia Internacional do Vira-Lata reforça a conscientização de que a raça não deve definir a relação de amor e respeito entre o tutor e o pet. Os idealizadores também procuraram estimular a adoção consciente de ACV’s.

Os pets disponíveis para adoção na feira são oriundos do Projeto Neonatos, iniciativa idealizada pelo curso de Medicina Veterinária da Una Linha Verde. A ação promove o resgate de cadelas e gatas gestantes ou que estão amamentando e que se encontram em condições de risco e vulnerabilidade.

Os animais são recolhidos principalmente na região da Avenida Cristiano Machado e direcionados para o centro universitário. Além de providenciar um abrigo seguro para o nascimento, o local oferece todos os cuidados aos filhotes, como alimentação, suplementos nutricionais, rotinas de higiene e monitoramento diário da saúde. Após o desmame, as características dos neonatos são avaliadas pela equipe do projeto, que pode reconhecê-los como sem raça definida e destiná-los para a adoção cadastrada.

Criado em fevereiro de 2021, o Projeto Neonatos já soma 40 adoções (seis animais adultos e 34 filhotes). Atualmente, cinco cadelas adultas e 12 filhotes, além de quatro gatos, esperam por um lar. A ação conta com a participação de 75 alunos do curso de Medicina Veterinária da Una Linha Verde. “Esse projeto nasceu com o intuito de engajar os alunos nos cuidados de animais em condições desfavoráveis. Além de adquirir mais conhecimento sobre as Terapias Intensivas, Obstetrícia e Neonatologia Veterinária, eles vivenciam a prática dessa área promovendo o acolhimento e o bem-estar de animais que passam por diversas situações de risco em ambientes inapropriados”, explica Bruno Antunes Soares.

Segundo dados do IBGE e do Instituto Pet Brasil, em 2019 o Brasil registrou 3,9 milhões de animais em condição de vulnerabilidade. Essa classificação é aplicada àqueles que vivem nas ruas ou são tutelados por pessoas abaixo da linha da pobreza, que também vivem em condições de vulnerabilidade humana. São aproximadamente 2,7 milhões de cães e 1,2 milhões de gatos na categoria ACV no país.

Os animais que vivem nas ruas sofrem com a falta de alimentação adequada e condições higiênicas inapropriadas, o que os expõem ao contato com diversos patógenos causadores de enfermidades. Além disso, ficam mais suscetíveis a acidentes que envolvem o trânsito e a condições ambientais desfavoráveis, como frio ou calor excessivos.

Animais em condição de vulnerabilidade também podem representar risco para a saúde pública, uma vez que podem desenvolver comportamento agressivo e serem vetores de transmissão de doenças. Além disso, o fluxo livre em locais como rodovias e avenidas são fatores de risco tanto para eles quanto para condutores e pedestres.