FecharX

Jovens articulam ato pela redução da tarifa de ônibus

<p>Reunião para manifestação conjunta em mais de dez capitais acontece no próximo sábado (15), na Savassi</p>



Créditos da imagem: Reprodução / Facebook / naSavassi
Main 2 manifestacao
Reprodução / Facebook / naSavassi
Redação Sou BH
12/08/14 às 10:38
Atualizado em 01/02/19 às 17:47

Em sintonia com os movimentos de outras cidades do Brasil, jovens de Belo Horizonte organizam pelo Facebook o 1° Ato pela Redução da Passagem. A concentração acontece amanhã (15), às 13h, na Praça da Savassi, para definir a data e o direcionamento de uma grande manifestação exigindo a redução da passagem de ônibus.

A convite do Comitê Popular dos Atingidos Pela Copa (COPAC), a manifestação procura reivindicar a redução de tarifas e o passe livre. A manifestação iniciará com atos lúdicos em protesto contra a política da Fifa para a Copa do Mundo e pretende seguir, após as manifestações, o trajeto para a Praça da Liberdade e a Prefeitura.

Eventos similares estão sendo organizados em mais de oito cidades, como São Paulo, Rio de Janeiro, Santos, Goiânia, Natal e Florianópolis. Até o fechamento desta matéria, mais de 9.000 pessoas estavam confirmadas para a participação neste evento.

A respeito do aumento de tarifas em Belo Horizonte

Segundo o jornalista João Paulo Borges, que apurou o aumento das passagens de 2008 em uma projeção até 2020, existem irregularidades no aumento da passagem: ?A tarifa do transporte público sobe a uma porcentagem incrível, são 10% a cada dois anos, com margem de desistência de passageiros de apenas 1%.Segundo os cálculos de progressão que eu fiz em 2008, esperava que o preço de R$2,80 só vigorasse em 2014, mas já aumentou. Fazendo as contas, até 2020 a passagem vai custar uns 4 reais e o salário mínimo não acompanha de forma alguma esse aumento?, declara.

O jornalista também apurou a projeção entre o salário mínimo e os gastos com meios de transporte: ?Suponhamos que o salário suba 10% nos próximos 7 anos, nessa projeção, então, teríamos um gasto ? para quem pega só dois ônibus por dia ? de, pelo menos R$ 176 por mês, o que corresponderia a cerca de 25% do salário. Imagine o trabalhador gastar um quarto de toda a sua renda mensal com ônibus. Quem tomasse uma dupla de ônibus por dia,  então, teria de pagar quase metade do que ganha em transporte?.

Sobre a frota de carros na capital, foram levantados os seguintes dados: ?Em contrapartida, a frota veicular ? carros, motos e caminhões ? de BH totalizou, pelo senso do IBGE de 2006, que as então 2.412.937 pessoas que habitam a capital possuíam uma frota total de 860.260 veículos. Isso equivale a menos de 3 pessoas por veículo. Uma concessionária vende, em média, 200 a 240 carros por mês, com um aumento médio anual de 30% nas vendas, isso indica que, a cada ano, uma única loja vende cerca de 0,5% do total da frota da cidade por ano. E pra onde vai esse tanto de carro? Para os 1% que deixam de andar de ônibus, que parece pouco, mas equivale a 14 mil pessoas ? se tomar a média de 1,4 milhão de pessoas que é atendida por dia pelo transporte coletivo, em  dados de 2008.Imagine, a cada dois anos 14 mil pessoas param de andar de ônibus e financiam um carro para lotar o trânsito?.

 Reprodução/Facebook

naSavassi

Comentários