FecharX

Gripe e Covid-19: você sabe as diferenças e semelhanças entre as duas?

Sintomas, tratamento, formas de transmissão, conheça mais sobre essas doenças



Créditos da imagem: CGN089/Shutterstock
Main destaque cgn089
Déborah Rodrigues *
06/04/20 às 15:00
Atualizado em 21/05/20 às 10:14

Como temos visto frequentemente na mídia, a Covid-19 desenvolve sintomas iniciais muito parecidos com os da gripe. Porém, além das semelhanças entre as duas doenças, há também muitas diferenças, entre elas, como, por exemplo, o tipo de vírus: a gripe é provocada pelo vírus influenza, enquanto a Covid-19 é transmitida pelo coronavírus.

A causa nos dois casos é semelhante, já que ambos se espalham através de gotículas de saliva ou mucosa infectados, principalmente por meio da tosse, espirro e mãos contaminadas que são levadas aos olhos, boca ou nariz. No entanto, Bruno Sander, médico e cirurgião, explica que existe uma diferença básica entre o coronavírus e a influenza, que é a capacidade de contágio. “O coronavírus tem uma habilidade de contaminação muito maior que o da gripe. A média de contaminação da influenza fica em torno de 1.2, já a do coronavírus chega a 6, muito mais alto”, diz.

Existe também uma diferença entre o período de incubação. A Covid-19 pode levar até 14 dias para manifestar sintomas mais sérios, já a influenza se manifesta em mais ou menos 3 a 4 dias. Além disso, o grupo de risco da gripe se concentra nas crianças, gestantes, idosos, portadores de doenças crônicas e imunossuprimidos. Ao mesmo tempo, no coronavírus, crianças e grávidas não fazem parte do grupo de risco.

A taxa de letalidade, que é o risco de morte que as doenças apresentam para as pessoas, também é bem mais alta para o novo coronavírus. “Enquanto na gripe é de 0,1%, muito baixo, e geralmente no grupo de risco, o coronavírus apresenta uma letalidade em torno de 3 a 4%”, explica o médico.

Quanto a cura e tratamento, ambas são sanadas com medicamentos sintomáticos, para diminuir febre, tosse, coriza e outros sintomas, mas na Covid-19 isso funciona quando os sintomas são leves. Para quadros mais graves, ainda não há nenhum medicamento específico para o tratamento, e não existe uma vacina – como a da influenza – para prevenção da doença. Por isso, em grupos de risco os sintomas podem se tornar mais graves, levando a morte.

Para se prevenir tanto da gripe quanto da Covid-19, é importante seguir cuidados básicos de higiene, lavando as mãos frequentemente, usando máscaras e álcool em gel sempre que possível. Também é importante lembar que, frente à pandemia e a taxa de letalidade e contágio que apresenta, é necessário respeitar as recomendações de isolamento social do Ministério da Saúde a fim de evitar a propagação da doença.


* Dr. Bruno Sander, cirurgião endoscópico, gastroenterologista e nutrólogo. Especialista em tratamentos para a obesidade. É diretor e fundador do hospital dia Sander Medical Center, em Belo Horizonte.


*sob supervisão dos jornalistas Bárbara Batista e Júnior de Castro

Comentários