FecharX

Uso obrigatório de máscaras de proteção: já garantiu a sua?

Além de movimentos que fazem doações da peça, produtores independentes vendem o produto para garantir renda neste momento



Créditos da imagem: Gazed/shutterstock
Main destaque gazed
Redação Sou BH
17/04/20 às 11:00
Atualizado em 21/05/20 às 10:14

Na última terça-feira (14) o prefeito Alexandre Kalil anunciou o uso obrigatório de máscaras para circular pelas ruas da capital, tendo como punição para quem não cumprir a ordem, a proibição da entrada em supermercados, farmácias, ônibus e outros locais públicos que seguem funcionando durante a quarentena. A medida busca reduzir a transmissão da Covid-19 em Belo Horizonte.


É importante lembrar que, mesmo com o decreto, a recomendação é sair de casa apenas quando for muito necessário. Nesse caso, alguns cuidados devem ser tomados: higienizar as mãos com água e sabão ou álcool em gel antes de colocar e depois de retirar a máscara; utilizar as alças laterais para tirar a peça, evitando encostar a mão na parte externa; trocar a máscara quando ficar úmida; colocar em um saco plástico fechado até poder lavar com água e sabão; e em caso de peça descartável, nunca reutilizar.


Para ajudar a população a aderir ao uso das máscaras, no dia 12/4 a prefeitura anunciou a compra e distribuição de 1,5 milhão de peças para moradores de vilas e aglomerados da cidade. Além disso, diversos movimentos e produtores independentes em BH estão confeccionando máscaras de proteção artesanais, seguindo as recomendações de segurança do Ministério da Saúde, o que ajuda também a gerar renda para autônomos que não podem trabalhar agora.


O projeto social Remexe Favelinha, do Centro Cultural Lá da Favelinha, no Aglomerado da Serra, é um dos que confecciona máscaras artesanais para a população. As vendas são feitas online, nos perfis do Instagram do Lá da Favelinha ou do Remexe Favelinha, e cada peça custa R$ 5. Toda a renda obtida é revertida para manter o projeto e o lucro é dividido igualmente entre as costureiras e todos os envolvidos.


A loja Banzo também entrou na onda de solidariedade e está doando máscaras através de sua plataforma online. São enviadas no máximo duas unidades por pessoa/pedido, pagando apenas o frete para receber o produto em casa.


Outra opção é fazer a sua máscara caseira, seja à mão ou utilizando máquina de costura. Você pode conferir o passo a passo para confecção no canal do Youtube da TV UFMG, onde a estudante de Odontologia Nathália Oliveira ensina como produzir a peça.

Comentários