FecharX

BH é eleita uma das melhores cidades para os idosos

<p>Além dela, quatro cidades mineiras estão entre as que oferecem melhores condições de vida aos idosos</p>



Créditos da imagem: Shutterstock
Main 3 idosos
Shutterstock
Redação Sou BH
12/08/14 às 10:37
Atualizado em 01/02/19 às 17:53

Belo Horizonte é uma das melhores metrópoles brasileiras para os aposentados, segundo pesquisa realizada neste mês pela Urban Systems. O levantamento fez uma análise de aspectos econômicos, demográficos e de qualidade de vida de municípios a partir de 100 mil habitantes. No ranking, a capital mineira ocupa o 9º lugar. Quem lidera a lista é a cidade de São Caetano do Sul, em São Paulo.

Dentre as 20 mais bem posicionadas na lista, outras quatro também são de Minas Gerais. São elas: Poços de Caldas (6ª), Juiz de Fora (14ª), Divinópolis (15ª) e Uberaba (19ª). Para se chegar ao resultado, o estudo analisou o acesso dos idosos aos serviços de saúde, às atividades de esporte e lazer, às medidas protetivas e aos instrumentos culturais, entre outros aspectos.

Confira algumas opções de atividades para os idosos em BH:

Academias da Cidade: Espalhadas pelas nove regiões da capital, as Academias da Cidade somam 63 unidades e reúnem 23 mil alunos, sendo que cerca de 7 mil têm mais de 60 anos. As atividades são gratuitas e monitoradas por profissionais de Educação Física. Antes de iniciarem os exercícios, os alunos passam por uma avaliação física que inclui seu histórico de saúde, medidas antropométricas, hemodinâmicas e cardiorrespiratórias.

Cuidador de Idosos: Neste projeto o paciente é acompanhado por um cuidador social, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, de acordo com o seu estado clínico e social. Atualmente, 127 profissionais auxiliam aproximadamente 450 idosos nas mais variadas atividades, como alimentação, banho e recreação.

Projeto Qualificação do Cuidado Domiciliar ao Idoso Frágil: O projeto tem como objetivo aperfeiçoar o serviço oferecido nas unidades de saúde. Foram capacitados, desde novembro de 2009, cerca de 5 mil profissionais. O projeto é fruto de um convênio firmado entre o Ministério da Saúde e a PBH, por meio da secretaria municipal.

Terapia chinesa lian gong: A atividade é realizada em realizada em praças, parques e centros de saúde da capital. Atualmente, cerca de 10 mil pessoas participam do programa, sendo que, desse total, mais da metade são pessoas acima de 60 anos. 

Vida Ativa: Oferece atividades físicas e de lazer para pessoas acima de 50 anos. Em 41 núcleos distribuídos pelas nove regiões da cidade e em 20 instituições de longa permanência são atendidos cerca de 4.500 idosos, com atividades que promovem a melhoria da qualidade de vida e a integração social. Além disso, o programa organiza eventos como a Caminhada pelo Envelhecimento Saudável e o Encontro Vida Ativa (EVA), que são anuais e reúnem milhares de participantes a cada edição.