FecharX

Conheça as principais doenças do verão, e como preveni-las

Quando sobe a temperatura, aumentam os casos de micoses, desidratação, intoxicação alimentar, entre outras



Créditos da imagem: BLACKWHITEPAILYN/ shutterstock
Main shutterstock 1070758418
Redação Sou BH
13/10/20 às 10:09
Atualizado em 13/10/20 às 10:09

Com o início do verão, a estação mais quente do ano, algumas doenças sistémicas e de pele tendem a aumentar drasticamente. Tais enfermidades podem ser ocasionadas devido ao calor excessivo, maior índice de suor, e algumas práticas que adotamos durante o período, como ficar longos tempos em piscinas e permanecer no sol sem proteção solar.

De acordo com os especialistas, os problemas de saúde mais relatados no verão são desidratação, insolação, dengue, intoxicação alimentar, e doenças de pele. Sendo assim, cuidados como ingerir bastante líquido, optar por alimentos leves, usar protetor solar com fator maior que 30, devem ser levados em consideração.

Abaixo, confira as principais doenças dessa época do ano, e como preveni-las:

 

Desidratação

A desidratação é a perda de líquidos e sais minerais do corpo, que pode ser aumentada por vários fatores no verão, como o aumento da própria transpiração. O paciente desidratado passa a apresentar sede, longo período de tempo sem urinar, boca e mucosas secas e olhos ressecados.

É uma doença grave, por isso, deve ser evitada com algumas dicas, como preferir local arejado e com sombra, usar roupas leves e ingerir constantemente líquido. Como tratamento, o soro caseiro também pode ser utilizado.

 

Insolação

A insolação é provocada pela exposição excessiva ao sol. Como consequências, a pessoa pode sentir os seguintes sintomas: intensa falta de ar, dor de cabeça, náuseas e tontura, temperatura do corpo elevada, pele quente, avermelhada e seca, extremidades arroxeadas e, até mesmo, a inconsciência.

É importante ressaltar que não somente quem fica diretamente exposto ao sol pode desenvolver o problema, pois a areia da praia, por exemplo, também reflete os raios solares e aumenta a temperatura corporal pelo calor.

Para evitar a insolação, basta se proteger adequadamente do sol, com chapéus ou bonés e roupas que cubram boa parte do corpo, e evitar ficar sob ele nos horários críticos. Manter-se bem hidratado também é fundamental.

 

Intoxicação alimentar

A alimentação feita em locais que não possuem higiene adequada no preparo e conservação dos alimentos ou que os deixam expostos por longos períodos à temperatura ambiente são os principais causadores da intoxicação alimentar.

Quando o alimento contaminado é ingerido, ele pode desenvolver alguns sintomas que variam de acordo com o micro-organismo causador do distúrbio. Dessa forma, pode causar diarreia, um simples desarranjo intestinal, náuseas, vômitos, febre, cefaleias, e até mesmo, desidratação grave. Em geral, esses sintomas não são duradouros.

Para evitar uma intoxicação alimentar, aposte sempre em alimentos frescos, como verduras, legumes e frutas bem higienizados. Tente ao máximo evitar comer fora de casa no calor, se o fizer, perceba o tempo de exposição dos alimentos nos restaurantes.

 

Micoses

No verão temos mais contato com a água, seja transpirando ou pela ida à praia ou à piscina. Isso faz com que a nossa pele fique úmida por mais tempo, favorecendo o aparecimento das micoses - doenças causadas por fungos. A reação pode aparecer nas virilhas, nos pés e nas unhas. Inicia-se sempre por uma pequena lesão avermelhada, e, posteriormente, provoca escamação contínua e coceira.

A melhor maneira de evitar as micoses é tendo o cuidado de manter a pele sempre seca. Ao sair da piscina ou do mar, enxugue bem o corpo com uma toalha limpa e, se possível, troque a roupa de banho por peças secas. Se o problema for o suor, o ideal é retirar o excesso de umidade da pele com lenços de tecido ou de papel e dar preferência às roupas de tecidos naturais, como o algodão, que permitem que a pele respire.

 

Dengue

A dengue é uma das mais conhecidas doenças de verão. Ela é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que transporta o vírus. Quem é picado pelo inseto pode sentir febre alta, dores de cabeça, nos músculos e nas articulações, além de perder o apetite, ter náuseas e apresentar bolinhas vermelhas por todo o corpo que causam coceiras.

A maneira mais eficiente de evitar a dengue é impedir a proliferação do mosquito causador. Para isso, é necessário acabar com os criadouros – lugares de nascimento e desenvolvimento do portador da doença. Portanto, não deixe a água, mesmo limpa, ficar parada em qualquer tipo de recipiente, como pneus, pratos de vasos, garrafas, caixas d’água, entre outros.

 

As informações contidas nessa matéria não dispensam uma consulta médica, por isso, ao apresentar os sintomas, procure ajuda especializada.

 

*Informações retiradas do Hospital Federal de Bonsucesso e site MinhaVida

Comentários