FecharX

Aqui Pertin: como aproveitar Lapinha da Serra em um fim de semana

Pensando em aproveitar um final de semana em Lapinha da Serra? Veja as dicas de hospedagem, gastronomia e entretenimento no distrito



Créditos da imagem: Yaya Souza
Main lapinha
O cartão postal da Lapinha da Serra
Yaya & Tiago - Aqui Pertin
28/04 às 07:00
Atualizado em 28/04 às 07:00

Lapinha da Serra é um dos destinos mais procurados pelos amantes da natureza quando se fala em Minas Gerais. O vilarejo a 136 km de BH e sem sinal de celular proporciona um verdadeiro de momento de desconexão com a correria do dia-a-dia e diversas belezas naturais para contemplar e aproveitar. Vem conferir com a gente as dicas para um roteiro completo!

Leia também

Onde se hospedar na Lapinha da Serra

O vilarejo é pequeno, mas o que não faltam são opções de hospedagens para todos os gostos e bolsos. São diversos campings, casas e chalés para locação e pousadas de diversos estilos. Em termos de localização, é muito difícil cair em cilada, já que praticamente tudo fica bem perto do centrinho. 

Como fomos com mais um casal, optamos pelo aluguel de um loft da Villa Musical. Os chalés de lá possuem alto padrão e conforto, além de mais privacidade. No nosso caso, optamos pelo Loft Baião, ele tem um projeto de arquitetura lindíssimo e a decoração é toda inspirada no Nordeste. 

Ao se hospedar em um chalé, diferentemente de uma pousada, você precisa se preocupar mais com a estrutura do local, principalmente com a cozinha. No Loft Baião, a cozinha é completa e conta até com itens como airfryer, cafeteira, liquidificador, microondas e preparamos praticamente todas as nossas refeições por lá. Já para a área de lazer, o loft tem uma vista incrível da Serra, piscina com borda infinita, churrasqueira, sauna, banheira de hidromassagem, além de quartos muito confortáveis e amenities de banho L’Occitane.


As diárias no loft Baião da Villa Musical são a partir de R$1.250,00 e as reservas, além da consulta sobre os outros lofts disponíveis, podem ser feitas no próprio site ou no Instagram.

Onde comer na Lapinha

Como a gente adiantou, fizemos várias das nossas refeições no próprio loft, mas a Lapinha também é bem democrática no quesito gastronomia. Existem vários restaurantes mais rústicos, com pratos feitos e muito bem servidos para se deliciar após um dia de cachoeira e restaurantes mais elegantes para um jantar especial. Nós reservamos uma noite para conhecer o Bistrô Lapinha

Nós provamos alguns pratos por lá, como a Panhoca com filé mignon ao gorgonzola (R$ 119,00 - 900g), e dois pratos principais: a moqueca de peixe com camarão no abacaxi, acompanhada de farofa de banana da terra e arroz branco (R$ 149,00 - serve até 3 pessoas) e um Filé mignon ao Bordelaise, que é um molho de redução de vinho, servido com arroz cremoso de alho poró e damasco (R$ 84,00). Todos os pratos muito gostosos e servidos bem quentinhos. A carta de drinks, assinada pelo Cris, também é bem famosa por lá. 

O bistrô funciona nas sextas e sábados de 18h às 00h, por ordem de chegada.

O que fazer na Lapinha

Além de relaxar, a Lapinha oferece muitas opções de ecoturismo. Neste quesito, são diversas opções de trilhas, cachoeiras e atividades ao ar livre para desbravar conforme a sua disposição. Nós optamos por duas atividades distintas, mas igualmente legais: a trilha até a cachoeira do Rapel e um passeio de caiaque pela Prainha. 

Cachoeira do Rapel


A cachoeira do Rapel é uma boa opção para quem quer visitar uma cachoeira na Lapinha, mas não está disposto a encarar trilhas de longa duração. O trajeto, desde a portaria, dura em torno de 1,5km de caminhada entre as pedras, por volta de uns 15 a 20 minutinhos e é cobrada uma taxa de R$15,00 por pessoa. Por ser uma cachoeira de fácil acesso, acaba sendo um pouco mais disputada, mas nada que inviabilize o seu passeio. 

dica #aquipertin: entre os meses de abril e novembro chove pouco na Lapinha, então, as cachoeiras podem estar com pouca ou nenhuma queda. 

Para os amantes da aventura, existem algumas outras trilhas mais longas:

  • Pico da Lapinha (trilha: 5 km por trecho íngreme)
  • Cachoeira do Lajeado (trilha: 6 km por trecho)
  • Cachoeira do Bicame (trilha: 10 km por trecho)
  • Travessia Lapinha Tabuleiro (trilha: 40 km por trecho)

Caiaque e SUP na Lagoa 


Outra atividade bem usual é o aluguel de caiaques e pranchas de stand up paddle para se divertir na Lagoa. Nós alugamos um caiaque duplo para remar até a ‘Prainha’, um trecho da Lagoa com areia branca e muito gostoso para nadar.. realmente lembra uma praia mesmo. 

A atividade dura em torno de 3h, sendo 45 minutos remando para ir e mais 45 para voltar - se você tiver experiência, para a gente demorou um pouquinho mais! 

dica #aquipertin: se você for se aventurar na atividade do caiaque duplo, lembre-se de 3 fatores importantes: não é força, é jeito; sincronize a remada com a sua dupla para que vocês não fiquem andando em círculos (baseado em fatos reais!); use bastante filtro solar, roupas UV e chapéu.


Optamos por fazer a locação do equipamento com a Sup Lapinha, que é referência em locação de pranchas, caiaques, bikes, quadriciclos e tudo mais na região. O aluguel da prancha de stand up paddle é R$100,00 (2 horas) e de caiaque duplo R$160,00 (2 horas). Para o passeio da Prainha, gastamos aproximadamente 3 horas, que saiu por R$ 230,00. Além disso, eles possuem a opção dos passeios acompanhados por guia, valores sob consulta. 

Para esses e outros roteiros, siga o @aquipertin no Instagram.